A memória operacional (ou memória de trabalho) é a capacidade que um indivíduo tem de reter informações por curtos períodos. É essa a memória que usamos, por exemplo, ao gravamos temporariamente um número de telefone antes de discá-lo. Uma das componentes dessa memória é a alça visuoespacial, que se refere à habilidade de processar informações sobre a disposição dos objetos no espaço.

O Teste de Arrumação do Armário (TAA) é um teste neuropsicológico desenvolvido no Laboratório de Pesquisa em Neuropsicologia Clínica e Cognitiva da UFBA (Neuroclic) que pode ser usado para avaliar a capacidade da memória operacional dos indivíduos para a alocação objeto-localização. A capacidade da memória operacional pode variar de indivíduo para indivíduo de acordo com fatores como idade, sexo e escolaridade. Além disso, estudos do laboratório Neuroclic demostraram que o TAA pode ser usado para detectar a doença de Alzheimer, com 80% de sensibilidade.

O TAA consiste de fases de demonstração e de interação intercaladas, com dificuldade crescente. Na fase de demonstração, são mostrados objetos sendo colocados em portas de um armário. A seguir, na fase de interação, são apresentados diversos objetos ao participante, que deve selecionar apenas os objetos apresentados na fase anterior e guardá-los nas respectivas portas corretas.

Tela do Teste de Arrumação do Armário

Responsáveis

  • Neander Abreu (professor, PSI-UFBA)
  • Rodrigo Rocha (professor, DCC-UFBA)
  • Diego Zabot
  • Daiane Mascarenhas
  • Tharcísio Vaz
  • Rogério Lázaro Jr.